• quinta-feira , 16 agosto 2018
25/07/2018

Teresa de Benguela e o Dia da Mulher Negra

Teresa de Benguela foi rainha do Quilombo do Piolho ou Quariterê, localizado no estado do Mato Grosso, e sob a sua liderança reuniu negros e indígenas na luta contra a escravidão, sobrevivendo por aproximadamente 20 anos na resistência ao sistema escravocrata, vindo a morrer em meados de 1770, quando o Quilombo foi invadido e destruído.

Teresa assumiu o comando político, econômico e administrativo do Quilombo do Piollo ou Quaritetê, após a morte do seu marido, José do Piolho, então líder do Quilombo, fortalecendo o sistema de defesa desde grupo com armas trocadas com os brancos ou roubadas das vilas próximas.

Há registros que dizem que Tereza nasceu em Benguela, município de Angola. Enquanto outros relatam que nasceu no próprio Quilombo de Quariterê. Mas fato é que Teresa foi uma das únicas mulheres quilombolas de quem há registros nesta região e ficou conhecida por ensinar e guiar a fuga de negros pela imensidão das florestas, e que por conhecer muito bem os mistérios desta região pouco povoada, tiveram muitos êxitos nas fugas na segunda metade do século XVII.

Teresa tornou-se, portanto, símbolo das lutas das mulheres negras no Brasil. Em 2009 o Senado aprovou pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte a criação do “Dia Nacional de Teresa de Benguela e da Mulher Negra”, a ser comemorado anualmente no dia 25 de julho em alusão à data em que é celebrado o Dia Internacional de Luta da Mulher Negra na América Latina e no Caribe.

Afinal, alguns séculos se passaram mas a luta ainda é grande!

Mulheres negras ainda são alvo de ataques diversos, ainda carregam o estigma de símbolo sexual, mulheres negras são o recorte da população brasileira com os salários mais baixos, machismo somado ao racismo fazem com que as mulheres negras liderem as estatísticas das vítimas da violência no Brasil, estudos mostram que o acesso à assistência médica para a mulher negra é mais restrito e consequentemente que a sua mortalidade é superior à das mulheres brancas.

A realidade é cruel e merece ser cuidada de forma específica.

25 de julho é o dia Dia da Mulher Afro-Latina-Americana e Caribenha.
25 de julho é o dia Dia da Mulher Negra no Brasil.

Mais que reflexão é dia de agir por um futuro diferente!

Postado por: Iniciativa Empresarial pela Igualdade | www.iniciativaempresarial.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

E fique por dentro das nossas novidades
Newsletter Image