Ator britânico critica "diversidade forçada" em 1917 e recebe críticas


Fonte: Colaboração para o UOL, de São Paulo


Vencedor do Globo de Ouro de Melhor Filme Dramático e Melhor Diretor para Sam Mendes, o filme 1917 entrou como um dos favoritos ao Oscar 2020 ao ser indicado em 10 categorias: Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Roteiro, Melhor Fotografia, Melhor Maquiagem, Melhor Design de Produção, Melhor Trilha Sonora, Melhores Efeitos Especiais, Melhor Mixagem de Som e Melhor Edição de Som. No entanto, nem todo mundo gostou do filme.


O ator britânico Laurence Fox, conhecido do público por seu papel na série policial Lewis (que esteve no ar entre 2006 e 2015) fez críticas públicas ao longa-metragem que, em sua opinião, "força a diversidade" ao mostrar soldados sikh lutando no campo de batalha ao lado da forças armadas britânicas na Primeira Guerra Mundial.


A fala polêmica de Fox foi ao ar através do programa de TV Question Time, transmitido pela BBC One. Na ocasião, ele expôs seu incômodo. "Havia sikhs lutando nessa guerra. Mas há algo institucionalmente racista em forçar diversidade dessa forma", disse o ator, complementando que os soldados sikhs jamais estariam lado a lado com os soldados britânicos.


No filme, o personagem em questão se chama Sepoy Jondalar, e é interpretado por Nabhaan Rizwan. Na opinião de Fox, a presença dele no filme é "incongruente" com a realidade histórica. Através das redes sociais, espectadores britânicos deixaram claro, em sua maioria, discordar veementemente de Fox. "Não me importo com a opinião de alguém tão medíocre", disse um internauta pelo Twitter. "Esse aí é um indivíduo muito limitado",afirmou outra pela mesma rede social. "Bem, parece que alguém ficou chateado de não estar no filme?", cutucou uma terceira. "Ele só quer se promover", especulou outro.


A imprensa britânica procurou o diretor Sam Mendes e os produtores de 1917 para comentarem as especulações de Fox, mas nenhum deles quis comentar o assunto.