Em toda a história da premiação, apenas 2% das estatuetas foram entregues à profissionais afrodescendentes
Fonte: Pamela Malva, da UOL
Em 2016, diversos artistas de Hollywood organizaram um plano ambicioso: boicotar o Oscar. O motivo era simples de explicar, mas difícil de entender sua persistência no século 21. Tanto se falava sobre direitos, e a premiação pouco os refletia. Spike Lee, Will e Jada Smith, por exemplo, questionaram a falta de representatividade negra entre os indicados pela Academia. Depois da última edição do prêmio, em 2019, um total de 3.140 estatuetas foram distribuídas, mas apenas 44 foram foram para algum profissional negro.
A discussão inflamou e refletiu muito sobre a persistência do racismo na sociedade atual — sem contar a desigualdade. Os protestos, no entanto, abriram portas para uma cobrança que, antes, era inexistente: espera-se que as próximas edições do Oscar sejam cada vez mais diversas. A 91ª edição, de 2019, trouxe uma perspectiva positiva ao entregar três grandes prêmios ao longa Pantera Negra — feito por uma equipe predominantemente negra. No final da noite, eles puderam comemorar as estatuetas de melhor figurino, direção de arte e trilha sonora.
Quase 80 anos antes, uma mulher negra fazia história como a primeira afro-americana da história a vencer um Oscar. Pelo papel da escrava Mammy, no filme …E o Vento Levou, Hattie McDaniel ergueu a estatueta de Melhor Atriz Coadjuvante, em 1940 — a primeira edição do Oscar foi muito antes, em 1929. Depois dela, outra grande atriz venceu o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante. Atuando como Oda Mae Brown em Ghost: Do Outro Lado da Vida, Whoopi Goldberg arrancou lágrimas no cinema e conquistou o prêmio em 1990.
O primeiro ator a vencer um Oscar, no entanto, veio muito depois de Hattie. Foi apenas em 1963, quando Sidney Poitier subiu no palco pelo filme Uma Voz na Sombras e recebeu a estatueta de Melhor Ator. Ele ainda conquistou o Oscar Honorário, em 2002. Em 1982, foi a vez de Louis Gossett Jr. ganhar o prêmio de Melhor Ator Coadjuvante — pela primeira vez nas mãos de um homem negro. Depois dele, muitos outros fizeram história, conquistando mais prêmios — que ainda não atingiram o número ideal, frente aos tantos ganhos por artistas brancos.
Melhor Ator
Denzel Washington foi o segundo ator negro a ganhar na categoria de Melhor Ator em 2002. Logo depois dele, veio Jamie Foxx, em 2005. Dois anos mais tarde, Forest Whitaker ergueu a estatueta, em 2007.
Melhor Ator Coadjuvante
O primeiro prêmio de Denzel Washington veio na categoria de Melhor Ator Coadjuvante, em 1990. Cuba Gooding Jr. ganhou sua própria estatueta dourada pela categoria em 1997 e, depois dele, Morgan Freeman venceu em 2005. Mahershala Ali ganhou o prêmio duas vezes, em 2017 e 2019, por seus papéis em Green Book e Moonlight.
Melhor Atriz
Por enquanto, o único prêmio de Melhor Atriz foi entregue à Halle Berry, em 2002. Por sua atuação em A Última Ceia, ela foi a primeira e única mulher afro-americana a vencer na categoria.
Melhor Atriz Coadjuvante
Jennifer Hudson foi a terceira atriz negra a vencer o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante, em 2007. Logo depois, Mo’Nique venceu em 2010. Na 84ª edição do Oscar, Octavia Spencer ganhou a estatueta — em mais um papel de empregada doméstica —, em 2012.
Outras categorias
Em 2014, Steve McQueen fez história como o primeiro negro a ganhar o prêmio mais importante do Oscar. Dirigindo o longa 12 Anos de Escravidão, o cineasta ergueu a estatueta de Melhor Filme da 86ª edição da premiação. Mais ainda, John Legend venceu a estatueta de Melhor Canção Original, em 2015. Ele subiu no palco da maior premiação cinematográfica pela música Glory, do filme Selma.
Poucos anos mais tarde, Barry Jenkins também venceu na categoria de Melhor Filme. Dessa vez, a estatueta foi por sua direção no filme Moonlight: Sob a Luz do Luar, no Oscar de 2017.
Em 2018, Jordan Peele fez barulho com o seu filme Corra!, que denunciava o racismo velado ainda presente na sociedade atual. Pelo longa, ele foi para casa com o Oscar de Melhor Roteiro Original em mãos.
2019 foi o ano de mais três prêmios importantes para artistas negros da indústria do cinema. Dois deles foram entregues ao longa Pantera Negra. Pelo filme da Marvel, Hannah Bleecher venceu na categoria de Melhor Direção de Arte e Ruth E. Carter ergueu a estatueta de Melhor Figurino. Por fim, selando a premiação de 2019, Spike Lee venceu o prêmio de Melhor Roteiro Adaptado pelo longa Infiltrado na Klan. Em 2006, ele ainda venceu o Oscar Honorário e criticou a falta de representatividade negra na premiação.