Em 2017 as classes A e B receberam 464 mil pessoas que se declaram pretos ou pardos. A quantidade de negros e pardos foi de 5,4% na classe A e de 1,2% na B.
E esse levantamento foi feito para a Folha por Cosmo Donato, economista da LCA Consultores. E o mesmo disse:
“Se a gente não estivesse em crise, é possível que essa inserção tivesse sido até mesmo maior. “
A trajetória de pretos e pardos é o único recorte positivo entre todas as classes de renda, de 2016 para 2017.
Cada vez mais os negros estão ganhando o seu espaço, o Brasil está recepcionando a sua diversidade, diversificando a sua apresentação e representação dos negros em várias áreas empresariais.
Para José Vicente, Reitor da Faculdade Zumbi dos Palmares, embora esse número seja relativamente pequeno, deriva da maior visibilidade desses indivíduos nos espaços sociais, a partir das políticas de cotas.
“Mas isso deverá ocorrer nos próximos anos. Há toda uma nova geração saindo da universidade e se posicionando”, diz José Vicente.
Com esse efeito, cresce o número de jovens negros dentro das empresas. Os negros estão se movimentando, estão se posicionando.
Você e sua empresa estão preparados pra isso?